Mostrando postagens com marcador Técnicas e dicas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Técnicas e dicas. Mostrar todas as postagens

sábado, 17 de outubro de 2015

Cortina improvisada com clips de papel. Fácil, fácil!


Esse cantinho agradável é da cozinha, da minha amiga e artista Nara Heil. Achei super prático, e algo que pode resolver problemas de organização de muita gente por aí. Faz muito tempo que fotografei, nem sei se ela ainda lembra, mas acheia ideia genial! Além, é claro, de ser um elemento barato de decoração para cozinha ou outros ambientes.






Acho que dispensa explicações, não? Mas, caso alguém tenha dúvidas, é simples e vou descrever tudo no Cria Trecos. Material e como fazer as duas partes, o armário e a cortina. Depois... Ok?


As fotos estão feias, sem qualidade, mas essa última está pior ainda, peço desculpas, porém nela dá para ver bem direitinho como fica o clips na bainha dessa cortina.



Mas posso dar umas dicas, não? Lá vão elas então:

- Se você não tem um pano novo, reaproveite um lençol, outra cortina velha que trocou, uma toalha de banho,   uma colcha, alguns panos de louças novos, ou qualquer pano retangular compatível com o tamanho do armário,. Procure em sua casa que você vai achar!

- Se você não dispor de uma tesoura, dobre bem certinho na mesma altura de seu armário mais o suficiente para a(s) bainha(s) e faça um pequeno corte com uma faca e depois rasgue o restono corte,  puxando as partes em sentido contrário. Pô, todo mundo sabe rasgar um pano, não?

- Pode dobrar a beirada rasgada para dentro e passar com o ferro para ficar mais forte na parte onde se finca os clipes de papel. Se tiver cola de tecido ou outra qualquer, e quiser usar, fica mais forte ainda. Mas vá devagar, use bem pouca cola para não manchar o lado direito.

- Também pode fazer uma dobra maior para fora  na parte de cima, e desfiar nessa parte rasgada formando uma franja, pois o pano reaproveitado de um lençol por exemplo, terá uma bainha pronta nos outros lados. Para desfiar bem retinho, puxe um fio um pouco mais para dentro da beirada e corte por ele.

- Variações de bainha: 

- Pode ser todinha colada, mas nesse caso somente com cola de tecidos, nada mais.

- Fazer um alinhavo bem miudinho à mão. Mas antes de alinhavar vinque a bainha com o ferro, dobrando duas vezes em toda volta para facilitar a costura, ficar bem acabado e esconder os fios. Se for costurar a bainha, não passe cola, pois dificulta muito.

 Também pode desfiar em  toda volta no caso de um tecido novo e sem ter em mãos uma máquina de costura e nem agulhas para fazer bainha.

Bem, por hoje é só. Cansei. Ufa!




domingo, 18 de maio de 2014

Caixas de Perfumes e Sketchbooks?

Sim. É isso mesmo! Vou explicar.

Todo mundo sabe que os vidros de perfumes são criteriosamente desenhados por designers famosos e competentes, e quase sempre ma-ra-vi-lho-sos!!!

Bem, a maioria dessas riquezas chegam as nossas mãos  em caixas. Caixas fortes e desenvolvidas para proteger muito bem o conteúdo precioso.

Eu sempre guardo as minhas, pois sou louca por papéis, né? E já usei pedaços delas em várias composições. Até que resolvir reaproveitá-las em um dos meus projetos em andamento: como capa de blocos e sketchbook.

Vi muitas sugestões com elas, mas a maioria descaracterizava o design gráfico´das caixas,  .

Infelizmente não consegui fotografar esses dois blocos/caderneta prontos, mas o processo sim, e o “Como Fazer”  estas capas, já está à disposição de quem ama fazer coisas como eu, no meu outro blog, o Cria Trecos. Acesse para aprender a fazer.

 

Foto0848

Essa é a capa do bloco Paloma Picasso, sendo preparada antes de receber as folhas…

 

 

Foto0847

Esse bloco feito com a caixa do Laguna vendi para minha irmã, e se ela não o tiver presenteado a alguém, talvez ainda possa fotografar e postar aqui…

Que pena não ter foto dele pronta! Sory! Fico devendo.

Mas vamos e venhamos: - não é um luxo reaproveitar a caixa do seu perfume e os materiais recicláveis?

Além de você poder desfilar por aí com um bloco ou caderneta (de marca. rsrs!) exclusivo.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Camisetas em Tie Dye e Mandalas

Há algum tempo estou com essas ideias coloridas na cabeça, mas só na cabeça, né? Até que a minha amiga e ex-colega de faculdade, a Lilly Andry, se empolgou, pegou junto e me colocou para trabalhar… Começamos e depois de um longo planejamento e interrupções de percurso, finalmente saiu a primeira produção de camisetas em Tie Dye… He, he! Ficamos muito felizes!!! Ficaram lindas, e meu recesso criativo teria que terminar um dia…
Na terça-feira passada fizemos os tingimentos das camisetas em Tie Dye, (Não conhece a técnica? Veja aqui e aqui) e quinta-feira saiu, enfim, esse lote de 12 camisetas com as impressões das mandalas recortadas em papel. (Maioria já vendidas, nem deu tempo para colocar na Loja Cria Trecos…)
As cópias dessa técnica são limitadas, pois elas são assinadas e numeradas (em relação ao numero total obtidos com cada tela), feitas de dobras e recortes manuais em forma de mandala. Podem ser tiradas de 4 a 8 cópias de cada uma, aproximadamente.Foto0991

Essa impressão abaixo foi assinada e numerada com 1/7, ou seja, cópia um de sete impressões iguais que consegui fazer com esse molde. Entenderam? Pretendo ainda publicar o “Como fazer” no blog Cria Trecos.
Foto0989 2

Essa marrom com amarelo, foi feita com tingimento a quente, e a de cima a frio, ambas amassada e amarradas.
Foto0749

Há muitos anos que eu não fazia serigrafia, e tive que experimentar, e uma ficou mal feita a impressão… Mas o que ficou falhado, retoquei à mão mesmo. Trabalhinho extra para não perder o jeito. rs, rs, rs… Detalhe: de biquini no jardim de casa.Foto0996
Por hora é só. A “mandriona”, como se diz por aqui em Floripa, já vai parar para curtir esse final feriado. Huuummm….

Paz Taça de Martini Presente com laço Feliz Natal e
Próspero Ano Novo!
Mais algumas fotinhos do processo de execução:

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Cores ao acaso

Às vezes fico horas pensando em uma determinada combinação de cores, Sempre é uma experiência agradável, mas, existe uma coisa chamada acaso (ou seria paixão?), que nos apresenta uma combinação perfeita, inusitada… É a força da natureza agindo.

Bem, o caso é o seguinte, amei a combinação de cores dessa imagem abaixo. Marrom, bege, verde musgo e Roxo. Uma cor terciária, uma neutra e duas secundárias. P6090010

É apenas o tecido de início em lã de outra cor que usei para fazer alguma peça, e por preguiça de sair da máquina fui emendando os restinhos que tinha ali. Agora é só aproveitar em alguma coisa. He! He!

Ah! Ia esquecendo: Tenho algumas peças de tricô para postar. Espero que consiga ainda essa semana, pois ou trabalho, ou me alugo no computador, e iisso inclui tudo: e-mail, blogues, redes, fuçar… e por aí afora.

domingo, 12 de setembro de 2010

Avental de plástico fundido reciclado

Tenho produzido algumas peças como nécessaires, capas de cadernos, bolsas e sacolas feitas com tecido de sacolas plásticas fundidas, mas ainda não tinha me ocorrido a idéia que encontrei no Etsy's Handmade Blog, e que achei ótima: um avental.

Prático, impermeável, lavável, barato, pode ser feito em diversos modelos, com peitinho, com alças, tipo colete, mais comprido, e poder ser usado para trabalhar com quase todos os tipos de artesanato, pinturas em geral, oficinas com crianças, lavar louças ou outras tarefas que envolvam água ou umidade, pois oferece boa proteção, além de ser todo de plástico reciclado.

Só não dá para fazer churrasco, pois ele pode pegar fogo com as brasas…

Veja aqui como fazer esse avental com o tecido plástico do Etsy's.

Avental de Tecido de Sacolas plásticas

No meu outro blog, o Cria Trecos, também disponibilizo as instruções para a reciclagem de sacolinhas feitas por mim, com ferro de passar a seco e papel comum (eu uso o papel craft).

Eu adorei esse avental, e inclusive os crochês são feitos com fios plásticos reciclados.

 

domingo, 21 de junho de 2009

Pelerine infantil

Fiz essa Pelerine para a minha filha. O tamanho é 5 a 7 anos, dependendo da criança ser gorda ou magra. Se for muito alta, ficará mais comprida se aumentarmos os pontos, e mais larga tantas quantas forem aumentadas as carreiras.

O Efeito Plissado do corpo da Pelerine é feito na horizontal, tricotando com  2 fios de espessuras diferentes (fio 3/15 e fio 2/28), alternando-os de 6 em e 6 carreiras sucessivamente,  ou de 8 em 8, e até de 10 em 10. Cabe sempre fazer amostras para ver o efeito.

Trico 2009 002

A barra e a gola são repostas na máquina, mas as barras dos botões e casas, são feitas no início e no fim do trabalho Plissado.

Esquema da pelerine para tricô à máquina no blog Cria Trecos.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Base ou preparação de fundo

Para cobrir fundos de caixas com letreiros, fotos, recortes de revistas, jornais, etc..., a pintura é a técnica mais indicada, mesmo que depois você vá trabalhar com colagens ou outra técnica sobre a superfície desse fundo.

Cuidados:
- Procure passar tinta da cor do fundo dos letreiros, ou branco se não tiver a mesma cor, dando o número de demãos necessárias para dar cobertura. Em geral, de 2 a 3 demãos são suficientes.
- Estique bem a tinta. Isso significa que você deve puxar bem a tinta com o pincel, até limpá-lo quase que completamente sobre a superfície, para recarrega-lo com tinta.
- Espere secar bem a superfície entre as demãos, para depois trabalhar novamente.
- Superfícies mais duras e ásperas (caixas de madeira, madeirite...) podem ser lixadas antes da aplicação da cor final.
- Aplique a cor final desejada sobre esse fundo, dando tmabém 2 ou 3 demãos.


O BRANCO SERVE DE FUNDO PARA
QUALQUER COR,
PRINCIPALMENTE QUANDO FOR PARA
CLAREAR


AS CORES ESCURAS (VERMELHO, AZUL, VERDE...), SÓ PODEM TER BOA COBERTURA SEM O USO DO FUNDO, SE APLICARMOS SOBRE TONS MARRONS, CINZAS OU PRETOS.

Base ou preparação de fundo

Para cobrir fundos de caixas com letreiros, fotos, recortes de revistas, jornais, etc..., a pintura é a técnica mais indicada, mesmo que depois você vá trabalhar com colagens ou outra técnica sobre a superfície desse fundo.

Cuidados:
- Procure passar tinta da cor do fundo dos letreiros, ou branco se não tiver a mesma cor, dando o número de demãos necessárias para dar cobertura. Em geral, de 2 a 3 demãos são suficientes.
- Estique bem a tinta. Isso significa que você deve puxar bem a tinta com o pincel, até limpá-lo quase que completamente sobre a superfície, para recarrega-lo com tinta.
- Espere secar bem a superfície entre as demãos, para depois trabalhar novamente.
- Superfícies mais duras e ásperas (caixas de madeira, madeirite...) podem ser lixadas antes da aplicação da cor final.
- Aplique a cor final desejada sobre esse fundo, dando tmabém 2 ou 3 demãos.


O BRANCO SERVE DE FUNDO PARA
QUALQUER COR,
PRINCIPALMENTE QUANDO FOR PARA
CLAREAR


AS CORES ESCURAS (VERMELHO, AZUL, VERDE...), SÓ PODEM TER BOA COBERTURA SEM O USO DO FUNDO, SE APLICARMOS SOBRE TONS MARRONS, CINZAS OU PRETOS.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Papéis marmorizados

Entre as minhas técnicas preferidas, tanto para o ato de fazer como os resultados obtidos, está a marmorização de papéis.
Um efeito bacana que se obtém com muita facilidade.

Materiais:
- Bacia grande com água.
- Luvas, melhor as fininhas, pois serão descartadas no final (desnecessárias para quem não se importar de usar solvente nas mãos para limpeza). Também pode se utilizar pinças para colocar e retirar os papéis da água.
- Papéis diversos: reciclados, canson, cartão, etc...
- Restos de tintas coloridas a base de óleo (para madeira, automotivas e até esmalte de unhas), o importante é que elas não se diluam com a água. É o que dará o efeito marmorizado.
Técnica:
- Derramar sobre a água pequenas porções de tintas, no mínimo em duas cores.
- Mergulhar os papéis, retirando-os de diversas maneiras: na vertical, rapidamente ou devagar, na horizontal, deixando a água escorrer aos poucos, etc. Vá experimentando, é aí que está o gostoso da técnica
- Os papéis podem estar secos ou já molhados, exceto os reciclados caseiros, que desmancham facilmente na água.
- Deixe as folhas secarem sobre jornais assim que obter um efeito que lhe agrade, ou pendure em um varal, mas as formas se modificarão um pouco ao escorrer.
- Comece com cores mais claras, e quando forem acabando (logo os papéis absorvem toda a tinta, que não se mistura com a água), então vá adicionando as cores mais escuras.
- Sempre que colocar mais uma cor, mergulhe algumas folhas para ter resultados variados.
- Prepare no mínimo umas vinte folhas, pois rende bastante.

Com papéis reciclados feitos em peneiras comuns de cozinha, planas e redondas.


Com papel canson, qualquer gramatura, o de cima estava seco antes de mergulhar, e o de baixo foi pré molhado.

sábado, 4 de outubro de 2008

Extra! Extra!

OFICINA DE COLAGEM EM MALAS DE PAPELÃO


A nossa escola recebeu semana pasasada 36 coleções de livros, com 12 volumes em cada caixa, num total de 432 volumes (ou melhor, 431, pois algum aluno mau caráter já se encarregou de furtar 1 volume no dia que abríamos as caixas para carimbar, registrar, etc... Enfim, espero q ao menos ele leia o livro).
Bom, como todos queriam as "malinhas", e muitas delas foram rasgadas pela curiosidade, e são apenas 36, resolvemos (eu + Patrícia Regina) que eu ministraria oficinas com as caixas utilizando colagens de recortes. Quem participar leva sua malinha já decorada.
o
MATERIAL:
- tesoura/estilete
- cola/pincel largo
- retalhos de algodão (2 pedaços)
- revistas, folderes, publicidades diversas para recorte
- adesivo cristal (opcional)
+
DICA:
Quem gosta de árvores, pode recortar só árvores, ou só flores, ou só bebês, bocas, crianças, brinquedos, temas infantís, ou figuras com predominância de determinadas cores, ou outro motivo ao gosto de quem participar. Vão pensando e coletando.
o
Como sempre, as oficinas são gratuitas e abertas aos pais, parentes dos alunos, comunidade, professores e funcionários da escola, além dos próprios alunos, é claro!
+
Ainda não esquematizei as datas, mas é bem provável que ocorram às quartas-feiras, das 17 às 18h e 30 min, após o início de horário de verão. Vou divulgar!

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Retângulos de plástico

PORTA PAPÉIS E FOTOS
Acomoda duas fotos, dos dois lados.
Como podem ver, são bem simples.
São feitos do plástico de capas de apostilas, bem grosso.
Usei cinco retângulos para o porta retratos e três para porta papéis e cartões de visitas + tesoura e cola quente, pingada de forma a manter sempre o mesmo tamanho da gota. Eu amei!

Álbum de fotografias

RECICLANDO JORNAL

O jornal fica bem vivo depois de passar a cola em toda a superfície. A base pode ser feita com caixas de cereais ou sabão em pó, sendo que estas últimas deixa o trabalho mais bem acabado e durável.

As folhas são simples, porém em cores diferentes. As cantoneiras são feitas com fita dupla face, nas cores e estampas que se desejar.

sábado, 9 de agosto de 2008

Bonequinhas da Sorte

Essas bonequinhas foram tiradas da revista Faça e Venda. São bonequinhas vietnamitas, cheias de arroz. Guarda-se três em uma caixinha, quando tivermos um pedido para fazer, as tiramos da caixa até que o pedido se realize.
Abayomi

A mini-boneca acima, foi criada pelas escravas que vinham para o Brasil em navios. Tiradas de sua terra estupidamente, a viagem levava meses e as mães rasgavam suas roupas para fazerem as Abayomis para que as crianças brincassem e se distraissem. Certamente tentando fazer com que as crianças não sofressem.

COMO FAZER UMA ABAYOMI
Essa eu fiz com meia-calça, e ninguém sabe ao certo como eram feitas. No meu caso, inventei, fiz com 4 tiras, duas maiores e duas menores (+ ou - 13 e16 cm de compr. x 3/4cm de largura).

Dei um nó com todas juntas para formar a cabeça, deixando sobrar acima da cabeça uns 2cm, cortando cada um dos 4 ao meio , ficando 8, e então dei alguns nós em cada um formando os cabelos.

Separo as tiras mais curtas e fazendo nós nas pontas, formo as mãos.

Na altura do quadril, faço 2 ou 3 nós um em cima do outro para fazer a bunda e quadril.
E nas pontas das mais compridas, dou nós para formar os pés.

A saia é 1 ou 2 circulos furados no centro e também amarrados na cintura.

A cesta (que era para ser uma fruteira),é feita com canudos de revista coloridos, onde vai se colando a partir do centro.

Os outros objetos são uma lagartixa de miçangas, de um artista local, e o polvinho é de Fernando de Noronha, do projeto Tamar.

Também tem chaveiros da Faça e Venda, com o único jeito que conheço de reciclar retalhos de EVA. Criei também alguns outros modelos, como o peixe e a boca.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Mais Scrapbook


É difícil aprender sozinha a fazer um blog. Ufa!!!
Demorei para entrar nessa porque nos últimos 4 anos, tive muitas coisas para cuidar, e o tempo realmente se faz necessário. Mas acho que com o tempo vou conseguir publicar coisas como sites, blogs, links, tags. Gente, o que é tudo isso?
Será que alguem pode me ajudar em uma dicazinha qualquer?
Hoje, por exemplo, vou tentar postar mais fotos de scrapbooks, mas não sei como colocá-las no marcador relacionado. Bom, mas vamos lá.


As minhas fotos não estão lá essas coisas, recebí reclamações e por isso agora postei em tamanho maior.

Estas duas páginas ficaram bem legais.

Na dos ursinhos usei:
papel cartão de 180 gramas
viés e bordado inglês
recorte de figuras (ursos com suas roupinhas) de um saco de papel para presentes bem antigo.
caixas de papelão pardo de embalagens de produtos, o que deu relêvo aos recortes sem utilizar fita banana.


DICA: Eu já usava o cartão de caixas para dar relêvo nas flores dos cartões, usando às vezes até três rodelinhas deste papelão entre as pétalas e o miolo das flores, e quando vim a saber da existência das fitas mais grossas, já tinha uma solução alternativa.

Nesta página com flores, primeiro decorei a página laranja com pinceladas em guache branco. Depois para as flores, usei plástico transparente grosso em seus miolos e no quadrado, que serve tanto para fotos, como para textos da página, cartolina prateada para moldura e as folhas em relêvo.

Obs. As pessoas das fotos são recortes de revistas.

sábado, 12 de julho de 2008

Cartões





Em 2006, para o natal, fiz muitos cartões utilizando cortadores e papéis de presente prata, dourado, poás, e outros. Para conseguir vender aos meus colegas de trabalho, que são todos professores da rede estadual de ensino, tive que cobrar de R$ 1,00/1,50 a unidade, pois senão não venderia nenhum.


Apesar de gastar muito, mas muito pouco mesmo com material, levava de 3 a 5 horas para fazer meia dúzia. O pior é que odeio fazer em série, gosto mesmo é de criar. Então nunca saiam iguais e eu fiquei muito feliz quando uns 30 juntos, cada um mais bonito que o outro.






Cartões feitos com recorte (papel cartão ou color plus) e dobraduras que deixam as flores, folhas, etc. em relêvo. esta técnica há muitos anos no programa da Ana Maria Braga, quando ainda não era na globo. Mais tarde peguei meus materiais e mãos à obra...


Misto: com moldes e dobraduras.



Este é só recorte e dobraduras.



Misto: cortador e dobraduras.



Detalhes das flores.


Este, abaixo, é um cartão gigante que fiz para o dia das mães para o mural da escola. Usei dez folhas de papel cartaz, aquele colorido de um lado e pardo no outro, que hoje em dia o chamam, erroneamente nas papelarias, de papel cartão. O papel cartão verdadeiro, que se compra nas lojas especializadas, possui os dois lados da mesma cor - específico para cartões - e encontra-se em várias gramaturas. Quatro das folhas que usei foram para colar o texto, que imprimi em papel comum.


Detalhe do cartão gigante.